Inteligência Artificial aplicada na Gestão de Ativos

A Inteligência Artificial (IA) está muito mais presente do que imaginamos na realidade da era digital, mas o seu conceito ainda causa muitas dúvidas para as pessoas. Desde a década de 50, ela vem sendo estudada como um ramo da ciência da computação que procura criar mecanismos capazes de imitar a habilidade humana de aprender de forma autônoma. Sua evolução foi acontecendo junto com o crescimento e avanço computacional, a redução de custos de armazenamento e processamento de dados e da computação em nuvem.

Dividindo-se em domínios específicos como: visão computacional, processamento de linguagem natural, aprendizado de máquina e robótica, a IA tem sido aplicada em diversas áreas de segurança, medicina, educação, indústria automobilística, marketing, entre outras. Para a In Forma, a Inteligência Artificial é uma estratégia eficiente de alcançar melhorias no serviço prestado pela empresa que é referência em Tecnologia da Informação para a gestão integrada de operação e manutenção no setor elétrico.

Na gestão de ativos de energia elétrica, é possível visualizar inúmeras aplicações da IA, para contribuir na solução de problemas já conhecidos, na identificação e diagnóstico de problemas pouco estruturados, onde as causas estariam relacionadas a centenas de variáveis e em milhões de registros, o que torna impossível a análise de todos eles por um especialista.

Uma das aplicações do uso da IA para o campo de atuação da In Forma é a predição de falhas. A partir de informações de diversas fontes de dados, como cadastro do equipamento, registros de inspeção, registros de eventos, manutenções executadas, entre outras, é possível criar modelos de IA que identificam padrões de dados relacionados a falhas ocorridas, sendo esses capazes de antecipar, em tempo hábil, prováveis falhas nos equipamentos. “Em setores regulados, o custo de falha pode ser muito alto porque está relacionado à indisponibilidade de serviços essenciais e sem reposição. A antecipação das falhas poderia trazer economias em custo de manutenção, perdas de faturamento, penalidades regulatórias e perdas de ativos”, explica Leningrado Florêncio, diretor de Aplicações Inteligentes.

Para acelerar a aplicação da IA nos seus clientes, a In Forma decidiu investir nesse ramo da ciência e contratou dois novos especialistas para compor sua equipe técnica. Wilton Ferreira, Mestre em Sistemas Distribuídos pela UFPE e o Eng. de Inteligência Artificial Anderson Tenório, Doutor em Inteligência Computacional pela UFPE serão os responsáveis por explorar as melhores oportunidades de uso de IA na gestão de ativos físicos.  A partir dessa iniciativa, a In Forma pretende levar a seus clientes as tecnologias mais modernas e conceitos inovadores para tomada de decisão e melhoria da qualidade da gestão de ativos.