Quais os principais indicadores de O&M (Operação e Manutenção) em sua empresa?

Última alteração: 28 de Maio de 2020 às 15:45

Fazer a gestão dos processos de operação e manutenção nas empresas que trabalham com instalações complexas é fundamental.

Afinal, com tantos equipamentos de alto valor e estando sujeitas a normas rigorosas, essa é uma das melhores maneiras de otimizar o orçamento e aumentar a produtividade.

Além disso, para potencializar os resultados dos processos de O&M é ideal analisar seus principais indicadores.

Neste artigo, portanto, falaremos sobre a importância dos principais KPIs de Operação e Manutenção.  

Desenvolver processos de O&M bem estruturados contribui para o crescimento da sua empresa

O&M é um conjunto de processos críticos para fazer o gerenciamento de produtividade nas empresas.

Originário da junção dos termos “operação” e “manutenção”, esse conceito propõe que os processos de uma empresa devem sempre caminhar ao lado das atividades que garantem o funcionamento delas. 

Os processos de operação e manutenção são linhas de frente na eficiência e produtividade das companhias do setor de energia. Nesse sentido, qualquer alteração fora do padrão, pode impactar o desempenho da companhia nos seguintes sentidos:

       Redução da qualidade

       Redução da produtividade

       Redução da vida útil dos equipamentos;

Por outro lado, quando há uma boa governança dos procedimentos e processos da operação e manutenção, as empresas são beneficiadas em vários sentidos. 

Uma das principais vantagens, por exemplo, está no aumento da produtividade do colaborador que se beneficia da automação.

Além disso, gestores que tem uma estratégia consistente de O&M, não ficam à deriva de máquinas quebradas, uma vez que estabelecem metodologias de melhorias contínuas.

Como a tecnologia influencia nos processos de O&M?

O O&M é feito, tanto pensando na manutenção planejada quanto nos reparos de urgência que naturalmente surgem nas empresas. Confira. 

       O&M corretivo: Como o próprio nome sugere, essa manutenção é feita de acordo com os imprevistos.

       O&M preventivo: Consiste em seguir um plano de manutenção recorrente em equipamentos e condições de trabalho. Seu objetivo, portanto, é impedir, ao máximo, paralisações na cadeia produtiva.

A prevenção, no entanto, nem sempre impede correções de emergência que surgem ao longo do tempo. Por outro lado, vale reforçar que quanto melhor o planejamento mais precisa é a gestão de riscos.

Além disso, com o objetivo de aumentar a eficiência desse processo, as companhias adotam um novo tipo de manutenção:

       O&M Preditivo: É o mais moderno dos três e consiste em utilizar metodologias e ferramentas para acompanhar as condições dos equipamentos em tempo real.

O O&M preditivo é utilizado para acompanhar a degradação natural das máquinas. Por isso, ele ocorre a partir da constante análise de dados que acusam as necessidades de manutenção.

Esse processo, por sua vez, pode acontecer com ou sem o auxílio de tecnologias específicas capazes de auxiliar essa predição. Contudo, mesmo com essas possibilidades, a implantação sem os softwares adequados é menos eficaz.

Afinal, uma vez que o acompanhamento é feito manualmente pelo operador, não há uma visão clara sobre o estado das máquinas.

A implantação da tecnologia, nesse sentido, mudou o cenário das operações nas empresas, e tornou a automação da análise de desempenho um processo bem mais recomendado.

Isso porque, com a possibilidade de prever as próximas falhas com mais precisão, os programas de manutenção ganham assertividade para que as empresas tenham maior controle sobre investimentos e produtividade. 

Qual o papel dos indicadores de desempenho nesses processos?

Os KPIs são parte integrante do planejamento e da implementação dos processos de operação e manutenção. Afinal, esses dados são os maiores responsáveis por medir o progresso das estratégias de O&M em todas as suas fases.

Outro ponto que vale a pena ser destacado, é que os indicadores de desempenho permitem que gestores tomem decisões eficazes para manter as empresas competitivas no futuro. Afinal, com a evolução contínua do mercado motivada pelo ingresso de novas tecnologias, as companhias são obrigadas a se manter atualizadas. 

No ramo energético, por exemplo, à medida que a eletricidade se torna mais uma mercadoria e menos um monopólio, empresas que não estabelecem procedimentos de melhorias contínuas podem perder a relevância dentro do setor. 

Resumidamente, os KPIs indicam que tudo o que pode ser mensurado, também pode ser otimizado. Assim, analisando os pontos chave sobre O&M é possível se adaptar às tendências do mercado, reduzir custos e aumentar a produtividade. 

Como definir KPIs para os processos de O&M na sua empresa?

Sendo capaz de fornecer inúmeras estatísticas sobre a eficiência dos ativos nas empresas, a importância do KPIs é inegável. 

Apesar disso, tratando-se de um processo complexo que envolve pessoas e máquinas, o responsável tem a obrigação de filtrar quais os principais indicadores de desempenhos a fim de traçar estratégias de O&M direcionadas e alinhadas aos objetivos da companhia. 

Olhar para as informações certas ajuda a destacar forças, fraquezas e oportunidades de melhoria. 

Por exemplo, se o objetivo final do departamento de manutenção é diminuir os custos, apenas métricas que influenciam os gastos das empresas com a gestão de ativos devem ser analisadas. Agindo assim, os gestores terão uma visão clara sobre como otimizar os processos nesse sentido.

Os KPIs devem transmitir uma mensagem aos responsáveis pelas tomadas de decisão. Caso a mensagem pareça pouco esclarecedora, as melhorias implantadas também serão menos relevantes.

Enfim, é preciso ter cuidado antes de definir o KPIs de O&M. Afinal, todos eles devem auxiliar a estabelecer alterações que façam a diferença no cotidiano de trabalho. Portanto, além de ter um objetivo bem definido, vale consultar todos os técnicos e colaboradores envolvidos com a manutenção de ativos.

Para auxiliá-lo, confira abaixo cinco dos principais indicadores de desempenho de manutenção nas empresas do setor de energia. 

5 principais indicadores de Operação e Manutenção

MTBF – Tempo médio entre falhas

Mean Time Between Failures (tempo médio entre falhas) é o tempo total em que a ferramenta se mantém produtiva. Nesse sentido, o MTBF calcula o período médio entre a manutenção até a próxima falha.

Essa é uma métrica de confiabilidade, uma vez que mostra o limite de produção do ativo até seu limite. Ao olhar para esse KPI, os responsáveis podem tomar decisões sobre programação de manutenção e gerenciamento de inventário, se baseando em informações validadas. 

Para calcular o MTBF basta seguir a seguinte fórmula:

       MTBF = Tempo total de funcionamento da máquina ÷ Número de falhas

MTTR – Tempo médio para reparo

Mean Time to Repair (tempo médio para reparo) tem o objetivo de medir o tempo necessário para reparar equipamentos com falhas. Esse KPI é fundamental, visto que mede a capacidade e agilidade da organização em resolver problemas inesperados. 

O MTTR começa a ser contabilizado no início da falha e é encerrado assim que o sistema volta à normalidade. Diante disso, essa métrica leva em conta a identificação do problema, o diagnóstico, a correção, os testes e outras etapas que envolvem a manutenção. 

Esse dado também deve ser baseado em um determinado período, e você pode o calcular da seguinte forma:

       MTTR = Tempo total gasto com reparos ÷ Total de intervenções de reparo

Availability – Disponibilidade

Availability ou disponibilidade do sistema demonstra o tempo em que o ativo foi utilizado para a produção. Essa métrica é uma das mais importantes em todo o processo O&M, pois mostra a probabilidade de falha total ou parcial para fazer a manutenção preventiva. 

Quanto maior a disponibilidade, mais fluidez na produção. Além disso, esse KPI também fornece a informação necessária para que os responsáveis pela manutenção entendam qual está sendo a eficiência deles. 

O cálculo da disponibilidade resulta em um valor percentual e deve tomar como base os KPIs anteriores. Veja a fórmula:

       A = MTBF ÷ (MTBF + MTTR) x 100%

MPd – Cumprimento dos planos de manutenção preditiva

MPd ou cumprimento dos planos de manutenção preditiva é a porcentagem de ordens de serviço de manutenção preditiva que foram executadas de acordo com o planejamento.

Dessa forma, através desse dado, os gestores conseguem entender se as inspeções e análises previamente agendadas estão em vigor.  Por isso, além de analisar o desenvolvimento dos processos através do MTTR e MTBF, esse KPI também é indispensável.

O acompanhamento do MPd evita correr riscos desnecessários. Afinal, cumprindo o plano de manutenção preditiva, os problemas e irregularidades passam a ser muito menos comuns.  Confira sua fórmula:

       MPd = Tarefas de manutenção preditiva realizadas ÷ ações definidas no plano x 100%

Por outro lado, não basta apenas saber se as tarefas de manutenção preditiva foram concluídas ou não. Saber quais atividades e em quanto tempo elas foram realizadas também é fundamental.

Com essa análise qualitativa, o responsável pela manutenção garante maior controle sobre a produtividade de sua equipe. Assim, fica mais fácil sua organização e sobra tempo para se dedicar às manutenções corretivas que, apesar de imprevisíveis, são recorrentes.

MP – Cumprimento dos planos de manutenção preventiva

Com a mesma proposta do MPd, o MP (cumprimento dos planos de manutenção preventiva) identifica se os planos de prevenção de falhas dos ativos estão em vigor. 

Assim como o KPI anterior, para saber se a manutenção preventiva está de acordo com o planejamento, basta seguir a seguinte fórmula:

       MP = Tarefas de manutenção preventiva realizadas ÷ ações definidas no plano x 100%

Otimize seus indicadores de desempenhos com soluções inovadoras

O processo de acompanhamento constante dos KPIs de O&M é a melhor maneira de aumentar os resultados de uma companhia.

Afinal, quanto mais você entende os números dos seus processos, mais fácil fica tomar decisões que contribuam para um desenvolvimento sustentável.

Entretanto, além da análise, otimizar os negócios da sua empresa também passa pela tecnologia.

Hoje, soluções com tecnologia avançada, para a realização de atividades de operação e manutenção, são grandes aliadas à gestão de ativos. Por isso, você deve buscar um parceiro especialista que ofereça soluções inovadoras para potencializar suas estratégias de O&M.

A In Forma é líder no mercado de gestão de ativos em empresas do setor energético. Atuando no Brasil e exterior, nossa visão estratégica sobre seu negócio é capaz de aumentar a segurança, confiabilidade, colaboração, rastreabilidade e reduzir os riscos operacionais.

Entre em contato conosco e conheça melhor as nossas soluções.